Somos únicos

29/12/2017

Somos One of a Kind

A expressão One of a Kind está ligada a ideia de individualidade, de singularidade. Poderia facilmente ser traduzida por "único", "sem igual", "um em um milhão". O nome do blog foi uma maneira de homenagear a Rebecca e todas as crianças diagnosticadas com condições genéticas raras.

Não chega a 100 o número de casos registrados com a mesma alteração cromossômica da Rebecca. E mesmo dentro deste grupo tão restrito de crianças que tiveram o mesmo diagnóstico, não há uniformidade, não um padrão de desenvolvimento, não há um padrão de sintomas ou de características bem definido. São crianças que não se definem por padrões pré-estabelecidos. São diferentes dentro da sua própria diferença. São todos únicos, peculiares, são indivíduos incomparáveis. Como todos nós.

Ser One of a Kind é, no entanto, muito mais do que ter uma condição genética rara, é ser reconhecido como um indivíduo ímpar na própria essência. E é assim que nós a reconhecemos. A Rebecca é única, não só pela raridade do diagnóstico, mas principalmente porque a sua existência é única e porque as experiências que essa existência nos proporcionam são únicas e valiosas.

Ser One of a kind diz respeito a todos nós. É reconhecer que somos todos raros. É reconhecer nossas singularidades num mundo que tende a nos uniformizar, é perceber aquilo que nos diferencia e que diferencia o outro de nós mesmos. É ser capaz de reconstruir diariamente nossa própria identidade através de um olhar atencioso para a diferença do outro.

Uma identidade cada vez mais lapidada, preciosa e humanizada se configura através do diálogo com as singularidades e esse diálogo só é possível quando deixamos de projetar no outro nossas próprias expectativas e passamos a tentar enxergar o mundo através do seu olhar.

Mais importante, porém, do que chamar a atenção para as diferenças é desenvolver a capacidade de FAZER A DIFERENÇA na vida do outro. Não basta enaltecer a diversidade. É importante que aquilo que nos diferencia seja usado em favor do outro, que nossas singularidades favoreçam a construção de um mundo mais justo, plural e ao mesmo tempo igualitário.

É importante que aquilo que diferencia o outro de mim seja também visto como oportunidade de mudança na minha concepção, na minha percepção de mundo. Que as nossas diferenças sejam mutuamente contempladas, apreendidas, respeitadas, consideradas, acolhidas e que a nossa percepção seja transmutada de estranhamento para deslumbramento, através do convívio com as diferenças.

Que nesse ano que se inicia você encontre a sua maneira de ser One of a Kind no mundo, que você SE VEJA único e raro como de fato é.

Que você seja mais do que diferente. Que você SEJA A DIFERENÇA .

São nossos desejos esperançosos para 2018,

Rebecca e família.